Visões e traslado: Pra. Elza Amorim

272
Visões e traslado: lei para quem tem duas famílias; fato, tocha de fogo; Paulo Augusto da Silva; homem sendo seguido; secretário do secretário de segurança; Instituto do Crime; o medo não deixa as pessoas reagirem; Gandora, Rybens
Na madrugada do dia 02 de setembro de 2021, ou 02 de setembro do ano 4 do século 21 D.C., eu tive essas visões, assim como, eu também fui trasladada em meu espírito e vi e ouvir o que segue:
Eu ouvir algo muito interessante, era sobre uma lei para quem tem duas famílias, mas era algo tão interessante que eu demorei para perceber que era uma visão, e acabei esquecendo, era mais ou menos assim:
Quem casou e se separou, se eles tiverem filhos e se casarem novamente e se seus cônjuges também tiverem filhos de outros relacionamentos, tudo que os pais tiverem será dividido de igual forma com todos os seus filhos e com os filhos de outros que tiverem sob sua autoridade.
Eu lembro-me que eu ouvir estas palavras:
“A lei de quem tem duas famílias: qualquer coisa será dividido até que eles precisem comer.
Uma grande responsabilidade”
(E isto eu percebia que ter filhos com mães diferentes seria de extrema responsabilidade para o homem em tudo)
(No futuro saber-se-á que lei seria esta)
Depois, eu vi um lugar, estava muito escuro, talvez fosse noite, parecia que tinha água por ali, vegetação, e eu vi alguém com uma tocha de fogo, indo de um lado para o outro, olhando, parecia querer ver alguma coisa. E eu tive a impressão que havia algo estranho ali.
Foi quando eu ouvir dizer assim:
“Eu vi alguma coisa mexendo naquele local”
(Quem falou isto parecia ser alguém que estava sendo interrogado)
Minha mente voltou
(Algo será descoberto, saber-se-á que caso é este)
Depois eu ouvia muitas falas, algo tenso, eu não conseguia guardar o que eu via, mas eu lembro que eu ouvir assim:
“Paulo Augusto Silva, o Paulinho”
(Algo envolvendo este será sabido)
Depois eu vi um homem em um carro, eu vi que ele disfarçadamente olhava para trás; tinha alguém o seguindo.
De repente, o carro parou, e este homem que estava na parte de trás, lado carona, desceu e bateu em uma porta. E eu vi  quando uma mulher e uma criança que estava deitada numa cama, desceram rápido.
Foi quando eu ouvir assim:
“não estou aqui para mim aparecer cedo. Penso que estou sendo seguido, entra aí no carro logo. Sai depressa”
Eu vi o carro arrancar
Minha mente voltou
(Saberemos que caso seria este)
Depois eu  ouvia falas sobre investigação, algo tenso, eu ouvia falas sobre Secretário de saúde, Secretaria de Segurança, Secretaria de Saúde, havia algo seríssimo, e ouvir algo assim:
“Vai chamar Doni da Silva (penso que foi este o nome), Daniel ou foi Dorival, Secretário do Secretário de saúde”
(Estavam convocando este homem para depor)
Depois eu vi é uma tremenda confusão, muitas pessoas falando ao mesmo tempo, era uma discussão na rua, o lugar parecia uma praça, e pessoas discutiam apontavam o dedo na cara da outra, algo pesado, mas eu só entendi isto: “Instituto do Crime”
(Algo com este nome, Instituto do Crime, saber-se-á)
Depois eu ouvia falas, era como uma reunião de anjos, eles falavam sobre a inércia das pessoas diante do que o inimigo está fazendo, que muitos sabiam que tem algo errado em usar estas máscaras, mas não conseguiam reagir, parar de usá-la por causa do medo que a mídia promoveu.
E eu guardei essas palavras:
“As pessoas elas não conseguem reagir ao comando do medo”
Depois eu ouvia algo muito tenso, mas eu não conseguir entender, minha cabeça doía muito, mas eu li dois nomes, penso que foram:
Gandora, Rybens ou Ribenys.
(Algo assim… saber-se-á)
QUEM TEM OUVIDOS PARA OUVIR QUE OUÇA!
Mas, quando vier isto (eis que está para vir), então saberão que houve no meio deles um profeta. Ezequiel 33:33
Pra. Elza Amorim