Cinco dores da maioria dos casais – Por Josué Gonçalves

18
  1. Não saber se relacionar bem com a família de origem do cônjuge.

Você lembra do CD de música? Casar é como comprar um CD, você gosta de “uma música” mas tem que levar “13  músicas” para casa. De certa forma, nos casamos também com a família do cônjuge, e esse é um dos desafios do casamento. Se relacionar bem com a família do cônjuge exige paciência, compreensão, perdão, solidariedade e muito esforço. Lembre-se: a forma como você se relaciona com a família do seu cônjuge determina como é a qualidade do seu casamento. Não é possível mudar essa ordem.

  1. Não saber lidar com as diferenças.

Um dos segredos dos casais que vivem bem, é que eles aprenderam a lidar com as diferenças. Somos diferentes em muitos aspectos, na forma como fomos educados, o nível de maturidade de cada um, o perfil de temperamento, gostos, preferências e perspectivas. O que os casais não podem é exigir que um seja igual ao outro, isso seria alterar a identidade do cônjuge. Quando o casal respeita as diferenças e sabe conviver apesar delas os dois constrói uma relação harmoniosa.

  1. Não saber lidar bem com as finanças.

A grande maioria das pessoas se casa sem fazer um curso de educação financeira, esta é uma das razões dos conflitos no casamento.  A forma como se administra as finanças estando casado é diferente de quando os dois estavam solteiros. Quando falta esta competência, os dois devem buscar aprender fazendo curso, recebendo orientações com mentores, lendo bons livros. Administrar bem o dinheiro no casamento é uma arte que pode ser aprendida.

  1. Não saber lidar com o desajuste sexual.

O sexo não é tudo no casamento, porém, quando o casal não se entende sexualmente, todas as outras áreas ficam prejudicadas. Não dar importância ao sexo no casamento, é como deixar de fazer aquilo que é vital para a vida a dois. O sexo é tão importante quanto tomar café, almoçar, jantar e beber água. Nada é mais prejudicial para o casamento do que quando o marido ou a esposa sofrem de uma carência crônica sexual. Dar atenção ao sexo é fundamental para a saúde do casamento.

  1. Não saber lidar com os defeitos do cônjuge.

Você já percebeu que muitas vezes aquilo que era a maior virtude dele/a quando solteiro, se torna o maior defeito depois de algum tempo de casado? Exemplo: O fato de ela ser extrovertida, comunicativa e espontânea, chamou a atenção dele, o atraiu. Depois de dois anos de casados ele acha que ela é espalhafatosa, fala demais, é exibida e entrona. Por que isso acontece? O contrário também é verdadeiro. Voltamos ao tópico 2, não é que ela seja espalhafatosa, é que os dois tem temperamentos diferentes e precisam se respeitar. Não chame de defeito aquilo que é apenas um aspecto diferente em relação ao temperamento de cada um. Aconselho você ler o livro: “Uma jornada de autodescoberta: O que o Eneagrama revela sobre você” do autor Lan Morgan Cron.

Quer saber e aprender mais sobre como resolver essas dores?

Um convite especial.

Nos dias 21 a 24 de janeiro eu vou realizar o SOS Casamento Presencial. Será uma imersão de 4 dias para os casais ter uma experiência extraordinária de transformação. Para quem é o SOS Casamento?

1) Para os casais que estão com o casamento na UTI Conjugal;

2) Para os casais que desejam fazer uma manutenção no casamento;

3) Para os casais recém casados que desejam aprender para não errar e;

4) Para os líderes de casais que desejam aprender mais para servir ainda melhor no ministério.

Para se inscrever, basta responder a este e-mail ou chamar a minha equipe no WhatsApp clicando aqui.

Assessoria