Cristãos farão ‘Marcha de Jericó’ para orar pela queda dos ‘muros da corrupção’ nos EUA

61

Cristãos vão orar nas capitais dos EUA em 12 dezembro, pedindo que os muros da corrupção desabem no país.

Cristãos vão se reunir nas capitais dos Estados Unidos para orar e protestar por integridade e transparência no sistema eleitoral do país. O movimento, chamado de “Marcha de Jericó”, irá acontecer em 12 de dezembro.

A marcha surgiu depois que dois cristãos, um católico e um evangélico, tiveram a mesma visão em 5 de novembro de forma individual e separada, indicando a fazer encontros de oração em várias capitais americanas.

“Deus nos chamou para estabelecer essas marchas e ajudar a mobilizar nosso povo — os santos e os patriotas — em torno das capitais, especialmente nos estados indecisos”, disse Arina Grossu, que é católica, e compartilhou a mesma visão que Rob Weaver, que é evangélico.

O principal foco da marcha está em estados americanos como Arizona, Geórgia, Michigan, Nevada, Pensilvânia e Wisconsin.

“Queremos incentivar as pessoas a orar, protestar e marchar pacificamente ao redor de sua capital, sete vezes, todos os dias ao meio-dia, até 14 de dezembro de 2020, quando os eleitores do colégio eleitoral vão oficializar seus votos”, disse Grossu à CBN News.

O movimento é inspirado no relato bíblico de Josué, quando os israelitas marcharam sete vezes ao redor da murada de Jericó por uma ordem de Deus, até que os muros caíssem. Hoje, os manifestantes esperam que os “muros da corrupção” em torno das eleições de 2020 sejam derrubados.

“Queremos integridade, reforma e transparência nas eleições”, explicou Grossu. “Queremos saber a verdade sobre esta eleição e garantir que a eleição não seja roubada do povo americano”.

Não é a primeira vez que a Marcha de Jericó acontece. De acordo com os organizadores, cerca de 700.000 pessoas já participaram de marchas que têm sido feitas desde a eleição.

“Deixe a igreja rugir”

Rob Weaver acredita que Deus tem um propósito em reunir uma católica e um evangélico através de uma visão, que deu origem a Marcha de Jericó.

“Ele quer que a Igreja seja unida. Ele não quer todas essas divisões, porque são apenas distrações. Eu acredito que a visão em si é projetada por unidade, pelo amor de Deus por nosso país”, disse ele. 

Parte da visão também está dentro da frase “Deixe a Igreja Rugir”, que se tornou tema do evento. “A igreja está se levantando e nós estamos nos levantando em oração”, explicou Grossu. “Sabemos que Deus pode fazer grandes coisas e mover montanhas. Estamos fazendo nossa parte que é orar e nos unir em nossa fidelidade”.

Além da oração, os organizadores da Marcha de Jericó pedem às pessoas que entrem em contato com os parlamentares estaduais, exigindo auditorias e exposição de qualquer atividade fraudulenta que possa ter acontecido na contagem dos votos. Por outro lado, eles estão confiantes nos “tribunais dos céus”.

“Deus nos mostrou três coisas muito claras: que existem os tribunais dos céus — que estão sendo levados em oração perante o Senhor — os tribunais dos EUA — que são tribunais terrenos — e os tribunais da opinião pública”, disse Weaver. “Cremos que Deus chamou a Igreja para focar nos tribunais no céu, bem como no tribunal da opinião pública”.

 

Guiame