Detento é curado de paralisia após visão de Deus e leva presidiários a Cristo

30

Danny Cox foi criado por um pai alcoólatra, que morreu quando ele tinha apenas 10 anos. Foi em uma comunidade popular de Illinois (EUA) que ele teve seu primeiro contato com a igreja, aos 12 anos, mas suas escolhas o levaram para caminhos diferentes.

Quando entrou na faculdade de Administração, Danny começou a experimentar vários tipos de drogas. Ele foi dono de um bar e duas academias, enquanto sua vida era regada a festas, bebidas e entorpecentes.

“Aos 30 anos eu comecei a usar cocaína”, conta Danny ao site AG News. “Eu estava gastando 700 dólares por semana, alimentando esse novo hábito. Então, decidi começar a vender cocaína para os meus amigos; assim eu conseguia minha cocaína praticamente de graça”.

Sua estratégia funcionou por um tempo, até que ele experimentou o crack. O custo de seu consumo de drogas quase triplicou e Danny começou a vender quantidades de cocaína cada vez maiores para sustentar seu novo vício. “As drogas começaram a controlar minha vida e comecei a perder meus negócios”, lembra.

Danny foi preso sob acusação de traficar mais de cinco quilos de cocaína. Na prisão, ele voltou a se lembrar das palavras que ouviu na igreja, quando era criança, e teve uma visão de Jesus. Foi a partir desta experiência que ele entregou sua vida a Cristo — desta vez para sempre.

Com o passo de fé, Danny se tornou um novo homem, completamente liberto dos vícios. Ele foi condenado a 10 anos em uma prisão federal e enfrentou a sentença estudando a Bíblia com dedicação.

Milagre na cadeia

Em seu quarto ano na prisão, Danny, que praticava exercícios físicos regularmente, percebeu que estava ficando fisicamente mais fraco. Depois de passar por uma bateria de exames, ele foi encaminhado ao Centro Médico Federal de Springfield, em Missouri.

Danny foi diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica (ELA), uma doença degenerativa que provoca uma paralisia muscular irreversível. Os médicos previram que ele teria entre um a dois anos de vida.

“Pior do que estar na prisão seria morrer na prisão”, afirma Danny.

Ele tinha convicção de seu chamado era evangelista, mas sofrer uma paralisia progressiva dos músculos poderia impedi-lo de pregar o Evangelho. Por isso, ele passou a buscar a Deus com ainda mais fervor.

“Dez meses após meu diagnóstico, eu tinha perdido 20 quilos, minha mão direita estava extremamente fraca e minha perna direita estava começando a se arrastar”, lembra. “Um dia eu estava na minha cela memorizando versículos, eu memorizei uns 100. Tirei os olhos da doença e coloquei em Jesus”.

“Eu cheguei a 60 versículos, e de repente, tive uma visão de Deus em que eu estava sendo curado. Eu não me sentia diferente, mas sabia que sabia que estava curado naquele momento, porque não iria acabar até que Jesus dissesse que acabou”, completa.

Quando Danny começou a dizer às pessoas que havia sido curado por Deus, ninguém acreditou. Nos próximos dois meses, ele começou a recuperar o peso e força que havia perdido. Quando ele ia começar a dar entrada no tratamento, com a ajuda dos advogados, os exames indicaram que ele não estava apto — os médicos concluíram que não havia ELA em seu corpo.

Recomeço em Deus

Danny entrou na prisão aos 42 anos de idade e saiu aos 51, em 1999. Em seus últimos anos na prisão, seu testemunho se espalhou entre os presos. Cinco anos após sua libertação, Danny voltou à prisão pelas portas da frente para contar sua história.

“Recebo cartas e bilhetes o tempo todo de presidiários que entregaram suas vidas a Cristo depois de eu compartilhar meu testemunho”, ele conta.

Desde 2007, Danny atua na capelania prisional pela Assembleia de Deus nos EUA e iniciou também seu ministério como evangelista. Hoje, aos 72 anos de idade, ele testemunha o milagre da salvação tanto na igreja quanto na prisão.

“Depois que fui salvo, quando minha família me viu cara a cara, levei todos a Cristo”, diz Danny. “E todos os meus amigos que vieram me visitar na prisão, levei a Cristo lá também”.

“Passei a ter esperança e fé de que, independentemente da situação em que eu estiver, Deus é maior do que a situação”, Danny afirma. “Ele está trabalhando, mesmo quando não vemos, porque com Deus nada é impossível!”

Guia me