Flordelis pediu que filhos escrevessem salmos com sangue, diz testemunha

81

Uma testemunha relatou à Polícia Civil do Rio de Janeiro que a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) praticava uma rotina de rituais secretos no final do anos de 1990. O depoimento foi obtido pelo jornal Extra.

Flordelis é suspeita de participar, como mandante, do assassinato do pastor Anderson do Carmo, morto em junho do ano passado. As declarações foram feitas meses após o homicídio.

O homem disse que morou na casa da parlamentar, no Rio de Janeiro (RJ), e que, durante esse período, acredita que participou de uma verdadeira seita. Ele citou um suposto “ritual de purificação” para entrar na casa dela.

Além disso, de acordo com a testemunha, Flordelis teria pedido a alguns filhos que cortassem a mão com uma faca e escrevessem com o sangue salmos da Bíblia. Na ocasião, cerca de 30 crianças moravam com a acusada.

O homem disse também que teve relações sexuais com Flordelis, mas não detalhou se esses atos foram extraconjugais, uma vez que a deputada começou a namorar com o pastor Anderson do Carmo em 1993.

Por fim, o morador contou também que, certa vez, o pastor Anderson pediu a Flordelis para fazer sexo com uma adolescente que tinha acabado de chegar na casa deles. Segundo ele, a parlamentar teria aceitado.

Flordelis nega todas as acusações.

Metropoles