Gotículas da fala podem permanecer no ar até 14 minutos

17

É sabido que a tosse e os espirros são veículos de transmissão da covid-19, mas a verdade é que o simples ato de falar também é um meio altamente contagioso, especialmente se o fizermos em espaços fechados.

A verdade é que, quando falamos, também projetamos gotículas invisíveis de saliva. As gotículas menores permanecem suspensas no ar durante mais tempo, enquanto que as mais pesadas caem mais depressa, atingindo as superfícies.

Agora, um novo estudo do Instituto Nacional de Saúde dos EUA, , publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America (PNAS), afirma que essas partículas de saliva menores, geradas durante a fala, podem permanecer no ar, num espaço fechado, até 14 minutos.

Para chegar a esta conclusão, os pesquisadores solicitaram aos participantes do estudo que repetissem a expressão “permaneça saudável” durante 45 segundos, dentro de um espaço fechado. Com a ajuda de um laser que permitiu quantificar as micropartículas projetadas, os pesquisadores verificaram que as gotículas ficaram no ar uma média de 12 minutos.

À luz dos conhecimentos que dispomos sobre a concentração do vírus na saliva, os cientistas estimam que falar alto durante um minuto pode libertar mais de mil gotículas contaminadas. Estas podem permanecer no ar de 8 a 14 minutos. Outro artigo, da mesma equipe de pesquisadores, já havia provado que falar mais baixo libera relativamente menos gotas.

NOTICIAIS AO MINUTO