Atentado contra mesquita deixa quinze mortos no Paquistão

63

Quinze pessoas morreram e outras 19 ficaram feridas em uma explosão durante as orações desta sexta-feira, 10, em uma mesquita do sudoeste do Paquistão.

O chefe de polícia da província do Baluquistão, Mohsin Hasan Butt, disse à AFP que a explosão ocorreu em uma localidade perto de Quetta, a principal cidade da província.

Mohammad Waseem, do hospital Sandeman de Quetta, confirmou que quinze corpos e 19 feridos foram levados para o centro médico.

Segundo informações obtidas pela AFP, a explosão atingiu a primeira fila de fiéis instantes depois do início das orações.

“Foi um forte estrondo, as pessoas gritavam e corriam para todos os lados. Muitos ficaram feridos por causa da explosão”, conta Mohammad.

“Dezenove pessoas continuam recebendo tratamento médico, dos quais três a quatro estão em estado grave”, disse o chefe de polícia Mohsin Hasan Butt.

Um oficial da polícia está entre os mortos, afirmou Butt, que considera que esse balanço possa aumentar por causa dos feridos que se encontram em estado crítico.

A ministra provincial Zia Ullah Langu disse a repórteres que as investigações realizadas por agentes de desativação de bombas indicaram que um “homem-bomba” realizou o ataque. Um porta-voz do governo da província, Liaqat Shahwani, também confirmou a informação.

Segundo o grupo de inteligência SITE, o Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelo ataque.

O ataque ocorre dois dias depois que uma bomba em motocicleta foi direcionada a um carro militar, matando duas pessoas e ferindo outras 14. O ataque aconteceu em um mercado movimentado de Quetta.

Situada na fronteira com o Afeganistão e o Irã, o Baluchistão é a maior e mais pobre província do Paquistão.

Embora em outras partes do país o número de incidentes violentos tenha diminuído consideravelmente, nessa província rebeliões são comuns e há ataques realizados por islamitas, separatistas e sectários.

Há tempos analistas alertam que o Paquistão não discute profundamente as causas do extremismo no país.

O Baluchistão é uma localização estratégica do Corredor Econômico China-Paquistão (CPEC). O CPEC procura conectar a região oeste de Xinjiang (China) ao porto paquistanês de Gwadar, dando à segunda maior economia do mundo acesso ao Mar da Arábia.

Fonte: AFP e IstoÉ