LIMPEZA: Prefeito Hildon Chaves pede para não jogar lixo na cidade

94
Grande quantidade de lixo tem sido retirada, principalmente garrafas, copos e sacolas plásticas, entre outros, que acabam sendo arrastados pelas águas fluviais, o que contribui para causar os alagamentos.

Lixo arrastado pela água da chuva entope o sistema de drenagem e causa grandes transtornos à população

A prefeitura de Porto Velho, por meio da Subsecretaria Municipal de Serviços Básicos (Semusb), intensifica os trabalhos de limpeza das chamadas “bocas de lobo”, que são aberturas construídas nas laterais das ruas, por onde as águas das chuvas escoam para a rede de drenagem. O objetivo é minimizar os alagamentos nessa época de intensas chuvas.

De acordo com a Semusb, esse tipo de ação é realizado durante o ano inteiro, seguindo as orientações do prefeito Hildon Chaves. Porém, nesse período de “inverno amazônico” o trabalho é reforçado devido ao grande volume de chuvas na região Norte do Brasil.

Como resultado, grande quantidade de lixo tem sido retirada, principalmente garrafas, copos e sacolas plásticas, entre outros, que acabam sendo arrastados pelas águas fluviais, o que contribui para causar os alagamentos.

Apesar do esforço da equipe de limpeza, a prefeitura solicita a contribuição para que a população não jogue lixo nas vias públicas, especialmente nos canais que cortam a cidade e dentro das “bocas de lobo”.

Outras causas

Por outro lado, a Prefeitura alerta que os alagamentos nem sempre serão evitados, devido a vários fatores. Cita como exemplos a topografia plana dos terrenos, volume de água muito grande para pouca vazão (acima do normal), manilhas de lançamento de águas pluviais submersas quando o nível do canal sobe, caixas de “boca de lobo” e tubulações de drenagens assoreadas, entre outros.

Pelo fato da rede de drenagem ser muito antiga, muitos pontos assoreados dificultam a passagem das águas pluviais, o que vem sendo corrigido.

Comdecom