Novembro azul: 10 mitos e verdades sobre o câncer de próstata

12

O câncer de próstata é o tipo de câncer mais comum entre os homens, especialmente após os 50 anos de idade. Alguns dos sintomas que podem estar associados a esta neoplasia incluem dificuldade para urinar, sensação constante de bexiga cheia ou incapacidade para manter a ereção.

No entanto, muitos casos da doença podem não apresentar sintomas específicos e, por isso, é recomendado que todos os homens com mais de 50 anos façam o exame do toque retal no urologista e o exame de sangue PSA.

Embora seja um câncer relativamente comum e facilmente tratado, principalmente quando identificado precocemente, o câncer de próstata está cercado por vários mitos que acabam dificultando o diagnóstico. Isto diminui as chances de ser identificado precocemente e, consequentemente, reduz a taxa de cura.

Conheça os 10 principais mitos e verdades sobre este câncer:

1. Só acontece em idosos
MITO. O câncer de próstata é mais comum em idosos, sendo a maior incidência a partir dos 50 anos, no entanto, a doença não escolhe idade e, por isso, pode aparecer em homens jovens. Assim, é importante ficar atento ao surgimento de sinais ou sintomas que possam indicar problemas na próstata. É muito importante fazer o rastreio anual recomendado a partir dos 50 anos para homens aparentemente saudáveis e sem histórico de câncer de próstata na família, ou a partir dos 45 para homens que têm familiares próximos, como pai ou irmão, com histórico da doença.

2. Ter PSA alto significa ter câncer
MITO. O valor aumentado de PSA, acima de 4 ng/ml, nem sempre significa que existe câncer se desenvolvendo. Isso porque qualquer inflamação na próstata pode causar um aumento da produção dessa enzima, incluindo problemas bem mais simples que o câncer, como a prostatite ou a hipertrofia benigna, por exemplo.

3. O exame de toque retal é mesmo necessário
VERDADE. O exame de toque retal pode ser bastante desconfortável e, por isso, muitos homens preferem optar por realizar apenas o exame de PSA como forma de rastreio do câncer. Porém, existem vários casos de câncer registrados em que não existiu alteração dos níveis de PSA no sangue. Assim, o toque retal pode ajudar o médico a identificar qualquer alteração na próstata, mesmo que os valores de PSA estejam corretos.

O ideal é que sempre se façam pelo menos dois exames em conjunto para tentar identificar o câncer: os mais simples e econômicos são o toque retal e o exame de PSA.

4. Ter próstata aumentada é o mesmo que câncer
MITO. O aumento da próstata pode, de fato, ser um sinal de câncer se desenvolvendo na glândula, mas também pode surgir em outros problemas mais comuns, especialmente nos casos de hiperplasia prostática benigna. A doença também é muito frequente em homens com mais de 50 anos, mas é uma condição benigna. Ainda assim, vários homens que têm hipertrofia prostática também podem apresentar sintomas parecidos com o de câncer, como dificuldade para urinar ou a sensação constante de bexiga cheia.

Nestas situações, o melhor sempre é consultar o urologista para identificar corretamente a causa da próstata aumentada, iniciando o tratamento adequado.