Cristão preso desde 2013 é libertado no Irã

76

Ebrahim Firouzi foi libertado da prisão de Rajaei Shahr, em Karaj, em 26 de outubro, mas cumprirá dois anos de exílio interno em Sarbazm, na fronteira com o Paquistão.

Em agosto de 2013, o cristão foi detido com mais duas pessoas na prisão de Evin, em Teerã. Mais tarde, foi transferido para Rajaei Shahr. A primeira sentença foi de um ano de prisão, mais dois anos de exílio em Sarbaz, no extremo sudeste do Irã.

Os “crimes” cometidos foram “propaganda contra a república islâmica”, “lançamento e liderança de evangelismo” e “execução de um website cristão”.

A Portas Abertas acompanhou a história de Ebrahim, mobilizou cristãos de todo o mundo para orar por ele, e ainda promoveu uma campanha de cartões com o objetivo de encorajar o cristão perseguido.

Após cumprir um ano da sentença, Ibrahim esperava a libertação, mas passou a cumprir uma segunda pena desde março de 2015 por “ações contra a segurança nacional”, “presença em encontro ilegal” e “conluio com entidades estrangeiras”.

Enquanto o iraniano estava encarcerado, a mãe, Kobra Kamrani, apelou aos tribunais para que permitissem a visita do filho ao hospital, onde ela lutava contra um câncer. Mas as autoridades negaram todos os pedidos, e a mulher faleceu no dia 3 de dezembro de 2018.

Em 26 de outubro, a liderança da prisão de Rajeel Shahr queria enviar Ebrahim diretamente para o exílio em Sarbaz, mas o cristão teve uma libertação temporária para resolver assuntos pessoais, incluindo a recuperação de documentos pessoais apreendidos pela Inteligência Iraniana.

O iraniano está em boa saúde e feliz em receber a ligação de amigos.

Ele pede para que as orações sejam estendidas a um companheiro da prisão com necessidades urgentes, e clama por paciência, principalmente nos momentos de tristeza e raiva.