Após queimadas aumentarem 370%, Rondônia deflagra operação de combate a incêndios

11

O governo de Rondônia iniciou nesta sexta-feira (23) uma operação conjunta para prevenir e combater os incêndios florestais nos 52 municípios do estado. Até aeronaves foram autorizadas para controlar as queimadas.

De acordo com dados do Corpo de Bombeiros, Rondônia teve um aumento de 370% de focos de calor neste mês de agosto, se comparado ao mesmo mês em 2018.

A corporação aponta ainda que 75% dos incêndios acontecem em seis municípios ao norte do estado, como Porto Velho, Cujubim, Candeias do Jamari, Nova Mamoré, Machadinho do Oeste e Buritis.

Imagem do sistema da Nasa da área perto de Porto Velho mostra as queimadas — Foto: BBC
Imagem do sistema da Nasa da área perto de Porto Velho mostra as queimadas — Foto: BBC

 

Segundo o poder executivo, para combater as queimadas foi deflagrada a Operação Jequitibá, que será realizada através de uma parceria entre Corpo de Bombeiros, Instituto Chico Mendes (ICMBio), Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) e Prev Fogo/Ibama.

A partir deste sábado (24) as equipes já estarão nas áreas com incêndios ativos. As principais áreas a serem fiscalizadas são as “que apresentam maior incidência de focos de calor e incêndios”.

Como vai funcionar a operação?

  • O Corpo de Bombeiros e Prev Fogo atuarão no combate dos incêndios;
  • Já o ICMBio cuidará da articulação e colaboração mútua entre as equipes ;
  • O batalhão da Polícia Militar Ambiental realizará prisões dos responsáveis por queimadas e qualquer outro tipo de crime ambiental, quando necessário;
  • Enquanto isso, a Sedam cuidará das ações preventivas de Educação Ambiental, além das ações de fiscalização e aplicação de multa para quem atear fogo em vegetações;

Fogo visto do espaço

A Nasa, agência espacial americana, divulgou nesta semana várias imagens que mostram pontos de queimadas e a concentração de fumaça em Rondônia.

Em entrevista à TV Globo, o chefe do Laboratório de Ciências Biosféricas da Nasa, Douglas Morton, explicou que as queimadas ocorrem principalmente em decorrência do desmatamento da floresta.

Morton – que estuda a Amazônia há quase 20 anos – afirma que o desmatamento voltou a patamares do início da década de 2000. Segundo o representante da Nasa, as imagens de satélite mostraram padrões muito semelhantes aos registrados entre 2001 e 2003.

Alta concentração de fumaça

Cidade de Porto Velho sob intensa fumaça de queimadas — Foto: Renata Silva/Arquivo Pessoal
Cidade de Porto Velho sob intensa fumaça de queimadas — Foto: Renata Silva/Arquivo Pessoal

Por causa do aumento do número de queimadas, Porto Velho é um dos municípios mais atingidos pela fumaça. A capital está encoberta pela fumaça desde o começo de agosto.

Segundo as autoridades, a poluição no ar já ameaça a saúde da população, devido ao monóxido de carbono (CO) concentrado na fumaça.

O Hospital Infantil Cosme e Damião, que atende a todo o estado, diz que foram realizados 120 atendimentos de crianças com problemas respiratórios de 1 a 10 de agosto. Já até o dia 20, na última terça-feira, eram 380 atendimentos.