Visão: Filhos entorpecentes, Forte Incêndio, sequestro carro forte, estupro, atentado/desabamento/ terremoto… – Por Elza Amorim Carvalho 

121
foto montagem ilustrativa

Visão: Filhos entorpecentes, Forte Incêndio, sequestro carro forte, estupro a ex -mulher, atentado/ desabamento/ terremoto.

Na manhã deste dia, 14 de julho de 2019, eu tive essas visões:

Eu vi algo interessante,  eu vi uma mulher puxar uma cadeira e subiu nela para pegar algo no armário da cozinha, e ela puxava as coisas e não encontrava o que ela queria.

Tinha outras duas  pessoas ali, uma era um homem e parecia trabalhar na casa.
Foi quando a mulher brava, arastou do armário (muito alto) uma caixa de remédio e disse: “estar vazia,  quem pegou isto aqui?”

E o homem respondeu:  “foi seus filhos”.
A mulher puxou outro frasco e sacudiu,  e disse: “estar vázio”.
O homem disse: “foi sua filha” (falou o nome) e completou: “você acha que ela é santa, ela apronta”. 

Admirada a mulher falou: “há tempo que vejo as caixas vazias,  mas eu pensei que fosse os fabricantes do Governo que pegou” mas, eu entendi que se referia a polícia. 
Quando ela levantou a caixa eu vi um nome,  mas eu só tenho certeza das letras iniciais, eram o nome TOCOMENTOL.

Era o frasco e a caixa branco, amarelo e vermelho.
Minha mente voltou.

Depois, eu vi, parecia portaria de um condomínio, ou de uma grande empresa. 
Havia uma pequena sala que era a portaria,  e a direita, um enorme portão de ferro, entrada deste lugar.

No lado de dentro, lado a pequena sala,  haviam salas grandes, ou casas, e subia de dentro delas, muitas labaredas de fogo.

Do outro lado, também por dentro, havia uma sala grande e estava de igual modo, o fogo subia muito alto, e era intenso. 

As paredes pareciam ser de tijolinhos vermelhos. 

Enquanto no lado de fora da portaria, um segurança armado, ia de um lugar para o outro, apreensivo, porquê haviam dois homens discutindo agressivamente, um colocava o dedo no rosto do outro acusando-o.

E parecia que o vigilante precisava de uma autorização de um daqueles dois para tomar uma decisão. 
Até a de abrir o largo portão. 
Enquanto isto o fogo se alastrava.

Depois, eu vi um carro forte,  rodeado de seguranças armados com  fuzis, e também cercado por muitas pessoas, eu vi muitos homens sem camisas.

Este carro, e todos que o cercava subia uma rua muito estreita,  era uma favela.
No início desta rua, em um pequeno largo, e eu vi como um galpão, e o portão de ferro estava aberto, e haviam policiais armados com pistolas e revólveres, se protegendo,  pois eles queriam invadir a casa ao lado onde um homem pegou a sua ex mulher para estuprar, e ele pretendia a matar também.  

Foi quando eu vi uma outra senhora sair desesperada da casa, sendo amassada pela porta, com um criancinha no colo, e chamando por uma menina que ainda estava lá dentro,  pois o homem ameaçava todos dentro da casa.
Parei de ver.

(Eu não sei se isto é o mesmo caso ou trata-se de casos diferentes)

Já era aproximadamente às 7:00 quando eu vi muitos rostos, semente os rostos de pessoas,  estavam muito sujos de poeiras.

Vi de perto muitos pares de olhos, azuis, castanhos, vi um olhar lacrimejando, outros quase fechados, outros de pessoas idosas pois eram bem enrugados, vi outros parecendo estar morrendo,  e vi outros ainda fechados como se a pessoa estivesse morta.

Depois eu vi bocas também,  inchadas,  outras sangrando,  outras cheias de cortes.
Tudo com muita poeira, terra seca.
Parei de ver. 
(Não sei se isto foi atentado, desabamento, ou terremoto.
Mas afetou muitas pessoas)

Mas, quando vier isto (eis que está para vir), então saberão que houve no meio deles um profeta.
Ezequiel 33:33

Pra Elza Amorim Carvalho 
Elzacarvalho68@gmail.com