O que é gestação múltipla?

40

Fala-se em gestação múltipla quando a mulher engravida ao mesmo tempo de dois ou mais conceptos, embora a forma mais comum de nascimentos múltiplos seja a de gêmeos (dois bebês). Há diferentes nomes para os nascimentos múltiplos, em função do número de nascimentos: gêmeos, trigêmeos, quadrigêmeos… Até o momento, o maior número de conceptos nascidos vivos e que sobreviveram é de oito.

Há dois tipos principais de nascimentos múltiplos: (1) os monozigóticos ou idênticos e (2) os dizigóticos ou fraternos. A frequência estatística de nascimentos múltiplos é de:

  • Gêmeos: 1:80
  • Trigêmeos: 1:6400
  • Quadrigêmeos e demais casos: 1:512000

Quais são causas da gestação múltipla?

Uma gestação múltipla ocorre se mais de um óvulo é liberado durante o ciclo menstrual e cada um deles é fertilizado por um espermatozoide. Pode acontecer também que um único óvulo se divida, resultando em múltiplos embriões idênticos. Isso parece acontecer aleatoriamente, podendo ter uma leve influência da hereditariedade.

O uso de drogas para aumentar a fertilidade e induzir a ovulação facilita que mais de um óvulo seja liberado dos ovários. A fertilização in vitro pode levar a uma gravidez múltipla se mais de um embrião for transferido para o útero. Mulheres com mais de 35 anos são mais propensas a liberar dois ou mais óvulos durante um único ciclo menstrual do que mulheres mais jovens e têm uma maior chance de terem uma gestação múltipla.

Qual é o mecanismo fisiológico da gestação múltipla?

Os gêmeos monozigóticos ou idênticos ocorrem quando um só ovócito é fertilizado e o zigoto resultante se divide em mais de um embrião. Deste modo, os irmãos idênticos têm o mesmo material genético e são também fenotipicamente idênticos. As pequenas diferenças entre os dois gêmeos são devidas às influências ambientais sobre o desenvolvimento.

Os irmãos dizigóticos resultam da fertilização e implantação de mais de um ovócito e assim eles não são geneticamente idênticos, são apenas dois irmãos gestados e nascidos juntos.

Em alguns nascimentos múltiplos é possível que uma combinação dessas duas possibilidades aconteça. Por exemplo, num grupo de trigêmeos pode haver um bebê de um ovócito e outros dois gêmeos idênticos de um segundo ovócito. Este caso, extremamente raro, é designado de polizigótico.

No início de uma gravidez múltipla, um exame de ultrassonografia é feito para descobrir se cada bebê tem seu próprio córion e saco amniótico. A esse respeito, existem três tipos de gêmeos:

  1. Dicoriônico-diamniótico: gêmeos que têm seus próprios córions e bolsas amnióticas.
  2. Monocoriônico-diamniótico: gêmeos que compartilham um córion, mas têm sacos amnióticos separados.
  3. Monocoriônico-monoamniótico: gêmeos que compartilham um córion e um saco amniótico. 

Quais são as principais características da gestação múltipla?

Em média, as grávidas de múltiplos ganham cerca de 10 quilos a mais do que as grávidas de um único bebê. Algumas mães de múltiplos relatam um aumento na gravidade de enjoo pela manhã, outras não. Só porque uma mulher está grávida de múltiplos, isso não significa que ela vai experimentar uma dose dupla ou tripla de enjoo matinal.

Algumas gestantes de múltiplos relatam sentir o movimento fetal mais cedo do que o esperado. Embora a fadiga extrema também possa ser causada por estresse, trabalho e responsabilidades, ela costuma também ser relatada por mulheres que estão grávidas de múltiplos, o que pode estar associado ao fato de que o corpo da mãe tem de fornecer nutrientes para mais de um bebê.

Quais os exames que confirmam uma gestação múltipla?

A ultrassonografia permite saber com certeza se a mulher está grávida de múltiplos e quantos são eles. Já no primeiro trimestre da gravidez, os sons cardíacos fetais podem ser detectados por um Doppler e médicos experientes podem ser capazes de detectar batimentos cardíacos múltiplos. No entanto, isso pode ser impreciso porque um único batimento cardíaco pode ser detectado em várias áreas do abdômen da mãe.

Resultado de imagem para gestação múltipla

As mulheres que estão grávidas de múltiplos fetos podem ter níveis aumentados de gonadotrofina coriônica humana (hCG), que é o hormônio produzido durante a gravidez. No entanto, o aumento dos níveis de hCG pode ter outras causas e não indica automaticamente uma gravidez de múltiplos.

Um exame de alfa-fetoproteína (AFP) pode ser realizado durante o segundo trimestre da gestação e é usado para detectar certos defeitos congênitos e medir a quantidade de uma determinada proteína que é secretada pelo fígado fetal. Uma leitura de teste positiva ou alta pode indicar uma gravidez múltipla.

Em gestações normais, os médicos monitoram a distância entre o topo do osso púbico e o topo do útero para avaliar a idade gestacional. As mulheres com gestações múltiplas têm um aumento nessas medidas em relação à idade gestacional. Esta medida aumentada pode indicar uma gravidez múltipla, mas não é exclusiva dela.

Quais são as complicações possíveis da gestação múltipla?

O risco de complicações é maior na gestação de múltiplos que na gestação de um único feto. A complicação mais comum da gravidez múltipla é o nascimento prematuro: mais da metade de todos os gêmeos nascem prematuros. Uma gestação comum de um único bebê dura de 37 a 40 semanas. As gestações múltiplas geralmente duram menos que isso.

Bebês nascidos antes de 37 semanas de gestação podem ter um risco aumentado de problemas de saúde de curto e longo prazos, incluindo problemas respiratórios e alimentares. Outros problemas, como dificuldades de aprendizagem e comportamentais dos múltiplos, podem aparecer mais tarde na infância ou mesmo na idade adulta.

Bebês que nascem antes de 32 semanas de gravidez podem morrer ou ter sérios problemas de saúde, mesmo com os melhores cuidados. Múltiplos prematuros também têm um risco maior do que bebês prematuros com a mesma idade gestacional para complicações sérias que podem levar à paralisia cerebral.