As exportações de arroz para a UE pelo Camboja caem acentuadamente após as tarifas

157

As exportações de arroz do Camboja para a União Européia caíram acentuadamente no primeiro semestre após a imposição de tarifas, mostraram dados oficiais nesta segunda-feira, mas a perda foi compensada pelo aumento das vendas para a China.

Em janeiro, a UE impôs tarifas de três anos sobre o arroz do Camboja e Mianmar, com o objetivo de proteger produtores da UE, como a Itália, após um aumento nas importações dos dois países asiáticos.

Nos primeiros seis meses, as exportações de arroz para a UE caíram 32% em relação ao mesmo período do ano passado, para 93.503 toneladas, de acordo com dados do Serviço de Janela Única para a Formalidade da Exportação de Arroz, um grupo de trabalho conjunto do governo privado.

No entanto, as exportações de arroz para a China aumentaram 66% no mesmo período, para 118.401 toneladas, enquanto as exportações totais de arroz subiram 3,7%, para 281.538 toneladas, com a Austrália emergindo como um novo mercado.

Kann Kunthy, vice-presidente da Amru Rice (Camboja), que exporta os grãos para países estrangeiros, disse que as tarifas da União Européia significam que o arroz branco de grãos longos do Camboja deixou de ser competitivo.

“As exportações para a UE caíram após a medida de salvaguarda, de modo que a China e outros novos mercados, especialmente a Austrália, estão melhorando”, disse Kunthy à Reuters.

“Perder um mercado nunca é bom, mas o bom é que encontramos outros destinos”, acrescentou.

Kunthy disse que Amru concluiu um acordo com um importador australiano de arroz e antecipou exportações anuais de cerca de 20 mil toneladas. As vendas para a Austrália atingiram 8.035 toneladas no primeiro semestre deste ano.

No âmbito de um programa comercial conhecido como Tudo Menos Armas (EBA), todas as exportações cambojanas para a UE são isentas de direitos, exceto armas. O bloco responde por mais de um terço das exportações do Camboja, incluindo roupas, calçados e bicicletas.

No entanto, em fevereiro, a UE iniciou um processo de 18 meses que poderia levar à suspensão do status de EBA do Camboja em relação ao seu histórico em direitos humanos e democracia.

Em abril, o primeiro-ministro cambojano, Hun Sen, disse que a China ajudará o Camboja se a UE retirar a EBA. A China também concordou em importar 400 mil toneladas de arroz cambojano, segundo a página de Hun Sen no Facebook.

 

https://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/as-exportacoes-de-arroz-para-a-ue-pelo-camboja-caem-acentuadamente-apos-as-tarifas-185571