Férias: estudar ou descansar? Especialista dá dicas para o período

35

Segundo coordenador do Anglo, quem presta Enem e vestibulares no final do ano pode aproveitar a época para se aproximar da aprovação

Ao longo da vida escolar, os estudantes costumam associar as férias a um período de descanso e lazer. Entretanto, quando se tornam vestibulandos percebem que cada minuto é precioso para conquistar a tão sonhada vaga na faculdade e podem se questionar se esse recesso deve ser dedicado aos estudos. 

Segundo o coordenador do Anglo Vestibulares, Madson Molina, as férias de meio de ano podem ser uma ótima oportunidade para se destacar em relação aos concorrentes. Ele indica algumas estratégias para tornar esse período mais produtivo, mas ressalta que isso não significa uma rotina mais intensa, mas equilibrada e eficaz.

Vale lembrar que o segundo semestre é intenso e cansativo. Por esse motivo, Molina não indica que o estudante estude todos os dias das férias, correndo um sério risco de desanimar na volta às aulas. “Destinar, por exemplo, a última semana apenas para descansar e as primeiras semanas para estudar pode funcionar melhor”. 

O especialista também ressalta um ponto importante: nada de misturar dias de estudo com dias de lazer. “O cérebro precisa reconhecer o descanso e identificar uma espécie de ‘marcador’ de encerramento do primeiro para o segundo semestre”.

Quando o estudante decidir dedicar determinado dia a leituras e exercícios durante as férias, Molina afirma que o período de estudo não precisa ser, necessariamente, tão árduo quanto no período letivo. Ele exemplifica que ele pode começar das 8h às 12h, ter duas horas para almoço e descanso, e retornar às 14h, com encerramento às 18h. “Perceba que, em um dia assim, o estudante terá estudado 8 horas em um clima de ‘quase férias’”, conclui o especialista.

Em relação aos conteúdos que devem receber mais atenção nesse período, algumas prioridades podem ser elencadas, como tarefas atrasadas, assuntos esquecidos com mais facilidade, matérias de provas específicas ou ainda os assuntos que possuem maior incidência nos vestibulares.

A partir de todas essas questões, o estudante deve analisar com calma e antecedência qual caminho irá seguir: dias voltados ao estudo, período de dedicação e conteúdos priorizados. Assim, conseguirá criar a sua planilha de estudos, que será fundamental para que todo o planejamento funcione efetivamente.

Caso ainda sobrem alguns assuntos que gostaria de estudar, mas não couberam no planejamento, é importante anotá-los. Essa lista será de extrema importância em momentos decisivos que virão no segundo semestre, como as aulas de revisão e os dias que antecedem as provas.

Sobre o Anglo Vestibulares (www.cursoanglo.com.br) – O Anglo Vestibulares iniciou suas atividades em São Paulo na década de 1950, sendo o primeiro curso preparatório para vestibular do país. Vinte anos mais tarde, expandiu a sua atuação para o Ensino Médio, com o Sistema Anglo de Ensino que, hoje, fornece material estruturado, da Educação Infantil ao Pré-Vestibular, para escolas conveniadas de todo o país. Atualmente, o curso conta com mais de 3 mil alunos em duas unidades. Reconhecido pelos altos índices de aprovação em vestibulares, seus alunos preenchem as vagas das melhores universidades do Brasil. Desde 2010, o Anglo integra o portfólio de escolas e cursos da SOMOS Educação.