Avaliação de pré-participação para prevenir lesões

12

A avaliação de pré-participação nos esportes (APP), é destinada a ajudar a manter a saúde e a segurança dos atletas. Sua finalidade é promover a participação segura. Os componentes das avaliações de pré-participação serão mostrados a seguir e cabe a divulgação a cada profissional da área da saúde para praticar a prevenção antes do ano competitivo, calendário de provas e jogos.

Quais são as metas e objetivos da avaliação de pré-participação?

O objetivo geral da avaliação pré-participação é ajudar a manter a saúde e a segurança dos atletas. Sua finalidade não é excluir os atletas da participação, mas promover a participação segura. Se não for esclarecido, a maioria dos atletas pode ser reabilitada ou redirecionada. Este objetivo é alcançado aderindo aos três objetivos principais (primários) da avaliação. Os três objetivos secundários aproveitam o contato médico-atleta.

Objetivos primários: detectar condições que possam predispor o atleta a lesões; detectar condições que possam ser fatais ou desabilitador; e atender aos requisitos legais e de segurança

Objetivos secundários: determinar a saúde geral; avaliar questões relacionadas à saúde; e avaliar o nível de condicionamento físico para esportes específicos

Quais são as vantagens das avaliações de pré-participação?

Um exame médico, com um especialista e título em medicina do esporte, geralmente é realizado com atenção primária ao atleta. O médico está familiarizado com a história médica e familiar do atleta. O cenário é muito mais silencioso e permite a discussão de vários problemas de saúde que são pertinentes. Estes incluem o uso de drogas, suplementos e álcool; atividade sexual; e outros tópicos principalmente os que estão no calendário anula atualizado pela WADA. O histórico de imunização pode ser revisado e atualizado de acordo.

Quais são as vantagens das avaliações de pré-participação em massa?
Essas avaliações são menos caras e geralmente são mais objetivas. Vários especialistas podem estar envolvidos, como treinadores, fisioterapeutas, cirurgiões ortopédicos, médicos de família e pediatras que têm especialidade em medicina esportiva indo mais rapidamente ao objetivo de liberação e início de temporada em conjunto.

Quais são os componentes da avaliação pré-participação?

A história médica é o princípio de qualquer avaliação médica. Um histórico completo identificará cerca de 75% dos problemas que afetam os atletas. Para aumentar as informações obtidas, o atleta e os pais devem completar o histórico juntos, antes do exame. O histórico de base recomendado inclui as seguintes informações gerais:

Condições médicas e doenças: Cirurgias, Hospitalizações, Medicamentos (prescritos, usos contínuos, suplementos), Alergias (medicamentos, insetos, meio ambiente), Status de imunização, História menstrual e Desenvolvimento psico-sócio-sexual.

Outras informações de históricos de lesões também devem ser incluídas: Cardiovascular (coração), Pulmonar (pulmões), Neurológico (sistema nervoso, incluindo o cérebro), Musculoesquelético, Lesões ou doença desde o último exame e História de concussões e desmaios.

A APP é uma ferramenta de triagem que enfatiza as áreas de maior preocupação na participação esportiva e áreas identificadas como problemas na história. Os componentes padrão recomendados da APP incluem também avaliação física que consiste nas avaliações e medidas: Altura, Peso, Pulso, Pressão sanguínea, Olhos, Ouvido, nariz, garganta, Coração, Abdômen, Genitália e Pele, Sistema musculo-esquelético.

O que é síndrome do coração atlético?

O coração de um atleta sofre certas mudanças funcionais e morfológicas (tamanho físico e forma) que o distinguem do coração de indivíduos não-atletas. Essas mudanças representam uma resposta fisiológica normal ao exercício e não um processo de doença. O tipo e o grau de mudança são afetados pelo tipo de treinamento – resistência (aeróbica) versus força (isométrica). Os atletas de endurance têm um volume ventricular esquerdo e um débito cardíaco aumentados. Os atletas de força têm um aumento na espessura da parede do músculo cardíaco. Os atletas de resistência têm uma frequência cardíaca menor.

Qual é a causa da síndrome da morte súbita cardíaca?

A morte súbita no atleta com menos de 35 anos é mais comumente causada por doença cardíaca congênita. Normalmente, o atleta é do sexo masculino, esteve envolvido em esporte de alto nível/rendimento. Infelizmente, geralmente não há sintomas precedentes. Por isso devemos estar atentos a esse mês de prevenção e sempre fazer avaliação detalhada dos casos suspeitas e com história.

Como o atleta em risco de síndrome de morte súbita cardíaca pode ser identificado?

A história é projetada para identificar atletas em risco, como aqueles com dor no peito ou peso, palpitações, falta de ar, desmaios (síncope) ou história familiar de morte súbita. Qualquer atleta com esses sintomas requer avaliação completa. O exame físico da APP pode revelar um sopro. A avaliação pode incluir testes adicionais (eletrocardiograma [ECG], radiografia de tórax, teste de esforço, ecocardiograma) ou consulta com um médico do esporte.

Referências:
Mirabelli, MH, Devine MJ, Singh J, et al. The Preparticipation Sports Evaluation. Am Fam Physician. 2015 Sep 1;92(5):371-376.

Sanders B, Blackburn TA, Boucher B. Preparticipation screening – the sports physical therapy perspective. Int J Sports Phys Ther. 2013 Apr; 8(2): 180–193.

American Academy of Pediatrics. The Preparticipation Sports Evaluation. Accessed 8/28/2018.

Ana Paula Simões é Professora Instrutora da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e Mestre em Medicina, Ortopedia e Traumatologia e Especialista em Medicina e Cirurgia do Pé e Tornozelo pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. É Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia; da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé, da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte; e da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. www.anapaulasimoes.com.br