O que é câncer de testículo?

55

Os testículos estão localizados dentro do escroto, numa bolsa de pele embaixo do pênis, e produzem espermatozoides para reprodução e hormônios sexuais (sobretudo testosterona), responsáveis pelas características sexuais masculinas. No conjunto de todos os tipos de câncer, o câncer testicular é raro, correspondendo a menos de 1% dos cânceres em homens. No entanto, a incidência tem aumentado ao longo dos anos e hoje representa o tumor mais comum em homens de 20 a 40 anos de idade.

Quais são as causas do câncer de testículo?

Ainda não está totalmente esclarecido o que causa o câncer testicular. O que se sabe é que as células saudáveis crescem e se dividem de maneira ordenada e que o câncer testicular ocorre quando elas se tornam alteradas, fazendo com que esse crescimento saia do controle. As células cancerígenas continuam se dividindo mesmo quando novas células não são necessárias e formam uma massa (tumor) no testículo. Quase todos os tumores testiculares começam nas células germinativas, as células dos testículos que produzem espermatozoides.

Os fatores de risco para este tipo de câncer incluem um testículo não descido (criptorquidia), desenvolvimento anormal dos testículos, história familiar, idade entre 15 e 35 anos e raça branca.

Quais são as principais características clínicas do câncer de testículo?

Em alguns casos o câncer de testículo não apresenta sintomas, sobretudo em sua fase inicial, e o diagnóstico costuma ser realizado durante exames para outros problemas de saúde. O câncer de testículo geralmente afeta apenas um dos dois testículos. Quando existem sinais e sintomas do câncer testicular eles incluem nódulo ou aumento em qualquer um dos testículos, sensação de peso no escroto, dor surda no abdome ou na virilha, coleção repentina de fluido no escroto, dor ou desconforto em um testículo ou no escroto e aumento ou sensibilidade dos seios.

Outros sintomas do câncer de testículo sinalizam que o câncer já se espalhou. Assim, pode ocorrer dor na parte inferior das costas quando ele se disseminou para os gânglios linfáticos no abdome; falta de ar, dor torácica, tosse ou expectoração de sangue podem se apresentar se a doença se disseminou para os pulmões; dor abdominal, devido ao aumento dos linfonodos ou a metástases para o fígado e dores de cabeça ou confusão mental, devido à disseminação do câncer para o cérebro, etc.

Resultado de imagem para câncer de testículo

Como o médico diagnostica o câncer de testículo?

Em alguns casos, os homens descobrem um nódulo ou aumento testicular de forma não intencional ou ao fazer um auto-exame testicular. Em outros casos, o médico pode detectar um nódulo durante um exame físico de rotina. Para determinar se um nódulo ou aumento testicular é câncer, o médico pode recomendar uma ultrassonografia e exames de sangue para determinar os níveis de marcadores tumorais no sangue.

Se for confirmado que o nódulo ou o crescimento testicular pode ser cancerígeno, a cirurgia para remover o testículo é recomendada. O testículo removido deve ser analisado para determinar se o nódulo é canceroso e, em caso afirmativo, qual o tipo e estágio do câncer.

Como o médico trata o câncer de testículo?

O câncer de testículo é altamente tratável, mesmo quando já tenha se espalhado. Dependendo do tipo e estagiamento, o paciente pode receber um de vários tratamentos ou uma combinação deles.

A cirurgia para remover o testículo afetado é o tratamento primário e radical para quase todos os estágios e tipos de câncer testicular. Nos casos de câncer testicular em estágio inicial, a remoção cirúrgica do testículo pode ser o único tratamento necessário. Uma outra intervenção pode ser necessária também para remover os gânglios linfáticos próximos.

A radioterapia é uma opção de tratamento para pacientes que tenham câncer testicular do tipo seminoma. Ela pode ser recomendada após a cirurgia para remover o testículo.

A quimioterapia pode ser usada em relação às células que já tenham se espalhado. As drogas quimioterápicas viajam por todo o corpo para matar as células cancerígenas que possam ter migrado do tumor original. A quimioterapia pode ser seu único tratamento, ou pode ser recomendada antes ou depois da cirurgia de remoção do linfonodo.

Como evolui em geral o câncer de testículo?

A taxa de sobrevida após 5 anos é de 99% se o câncer é localizado, de 96% se ele se espalhou apenas regionalmente e de 73% se já se espalhou à distância.

Como prevenir o câncer de testículo?

Não há como prevenir o câncer testicular. Contudo, alguns médicos recomendam auto-exames regulares dos testículos para identificar o câncer testicular em seu estágio inicial, mas nem todos os médicos concordam que isso seja eficaz.

Quais são as complicações possíveis do câncer de testículo?

O cirurgião tomará cuidado para evitar danificar os nervos ao redor dos gânglios linfáticos, mas em alguns casos esses danos podem ser inevitáveis. Os nervos danificados podem causar dificuldade na ejaculação, mas não impedem que o paciente tenha uma ereção.

Os efeitos colaterais de uma eventual radioterapia podem incluir náusea e fadiga, assim como vermelhidão e irritação da pele em áreas abdominais e virilha. A radioterapia também é susceptível de reduzir temporariamente a contagem de espermatozoides e pode afetar a fertilidade em alguns homens.

Os efeitos colaterais comuns da quimioterapia incluem fadiga, náusea, perda de cabelo e aumento do risco de infecção. Ela também pode levar à infertilidade em alguns homens, que, às vezes, pode ser permanente.