Eduardo Botelho e Janaina se reúnem com Mauro e pedem nova proposta para encerrar greve

68

Maurício Barbant

O presidente e a vice-presidente da Mesa Diretora, Eduardo Botelho (DEM) e Janaina Riva (MDB), reuniram-se com o governador Mauro Mendes (DEM), na manhã de hoje (19), para demonstrar a necessidade de o Governo reavaliar as margens financeiras do Estado e tentar oferecer uma proposta aos servidores da educação, que estão em greve há 24 dias. O encontro foi realizado dois dias depois de a Assembleia promover uma audiência pública para tentar articular juntos aos servidores o fim da paralisação das atividades.

“O governador demonstrou estar chateado, triste e angustiado por não ter condições de fazer propostas que não serão cumpridas lá na frente. Mas ficou de analisar mais uma vez junto à equipe econômica, com o secretário Rogério Gallo (Sefaz), Basílio Bezerra (Seplag), e Mauro Carvalho (Casa Civil), para ver se consegue pelo menos uma proposta paliativa. Mas não garantiu”, disse Botelho.

Mauro afirmou aos deputados que não vai fazer compromisso que não consiga cumprir lá na frente e teria dito a Botelho e à Janaina, que não vai passar um cheque sem fundo aos servidores. “O que adianta dar alegria aos servidores agora e depois dar tristeza lá na frente, por não conseguir pagar”, relata Botelho sobre o posicionamento do governador.

Em entrevista à imprensa, Botelho reafirmou seu posicionamento pelo fim da greve, alegando que quanto mais tempo os servidores da Educação ficarem paralisados, maior prejuízo vão provocar aos alunos e a eles meses. A preocupação estaria, segundo o deputado, com a reposição das aulas, que não teria a mesma qualidade que a aula em expediente normal.

Jardel Silva

Reuni�o MPE - greve

Deputados e servidores da Educação em reunião com José Antônio Borges, nesta manhã

Botelho também questionou o posicionamento do Ministério Público, em querer auxiliar nas negociações entre os servidores e o Executivo. “O MPE não vai ajudar em que? Com procuração? Pode participar conosco na negociação, mas acredito que não vai acrescentar muita coisa, porque o problema é só um, falta de dinheiro”, disse o deputado, que defende que o papel de interlocução deve ser protagonizado pela Assembleia.

A declaração de Botelho foi antes da reunião de Janaina e alguns deputados com o procurador-geral de Justiça José Antônio Borges. De acordo com a emedebista, do encontro diversas sugestões surgiram, dentre elas o parcelamento do ganho real dos servidores.

Em quase um mês de greve, Mauro Mendes não ofereceu nenhuma proposta aos servidores que cobram o cumprimento da Lei nº 510/2013, que reajuste em 6,7% o salário da categoria, assim como o pagamento da RGA 2018 e 2019 entre outras reivindicações. A justificativa do Poder Executivo é que o impacto que esses pagamentos farão na folha é incompatível com a atual situação financeira do Estado, o que deduz improbidade administrativa.