Banco da Amazônia disponibiliza R$ 300 milhões para RRS 2019

44

O objetivo é atender o Agronegócio, indústrias, comércio e prestação de serviços 

Com financiamentos de longo prazo e taxas atrativas que podem chegar a 5,37% ao ano nas operações de custeio, o Banco da Amazônia marcará novamente presença na 8ª edição da maior feira agropecuária da Região Norte, a Rondônia Rural Show – RRS. O evento reúne o agronegócio do Estado, do Brasil e do mundo, de 22 a 25 de maio, no Centro Tecnológico Vandeci Rack, na cidade de Ji-Paraná.

Principal instituição financeira de fomento do Norte do país, o Banco da Amazônia tem entre suas fontes de recursos, para o financiamento de negócios sustentáveis, o Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), onde há linhas disponíveis para incrementar os empreendimentos rurais, como é o caso do FNO Amazônia Sustentável.

Destinado a investimentos e custeio das atividades agropecuárias, o FNO Amazônia Sustentável é voltado a pessoas físicas e jurídicas, incluindo associações e cooperativas, para implantação, diversificação e modernização dos empreendimentos rurais. Quem recorrer a essa linha, além da taxa anual de 5,37%, caso pague as operações em dia, também se beneficiará com um bônus de adimplência. E o que é melhor, o Banco praticará esse percentual da taxa para contratações realizadas até 30 de junho.

Outra linha disponível que os empreendedores encontrarão na RRS é o FNO Energia Verde. Criada para induzir, estimular e apoiar sistemas de produção de energia por fontes renováveis, essa linha é destinada ao consumo próprio de pessoas físicas (rural e residencial) e jurídica, para a expansão da matriz energética regional, em bases sustentáveis.

Foto:Roni Carvalho

“Com a missão de promover o desenvolvimento sustentável com soluções eficazes, estaremos presentes na 8ª Rondônia Rural Show com nossa Equipe de Gestores em tempo integral, com objetivo de atendermos empreendedores / produtores rurais , que atuem nas cadeias produtivas selecionadas pelo Governo do Estado, inseridas no Plano de Desenvolvimento Sustentável – PDS 2015/30 – pecuária de corte, pecuária de leite, piscicultura, cafeicultura, cacauicultura, suinocultura, avicultura, hortigranjeiro, além do setor não rural (Indústria, Comércio e Prestação de Serviços)”, informou Wilson Evaristo, superintendente do Banco em Rondônia.

Aos empreendedores que estão em débito com o Banco da Amazônia, os técnicos da Instituição também estão aptos à renegociação das dívidas, segundo o que dispõe a Lei 13.340. os clientes inadimplentes poderão ter, a partir da renegociação, descontos de até 85%, carência até 2021, juros de 0,5% a 3,5% e bônus de adimplência. (AI)