Pesquisa mostra que mais de 40 milhões de pessoas buscam sabedoria na Bíblia

59

A Sociedade Bíblica Americana (SBA) acaba de divulgar o relatório com uma pesquisa chamada “Estado da Bíblia de 2019”, que traz resultados muito animadores e até surpreendentes, de acordo com o diretor da SBA, John F. Plake.

O relatório mostra um adicional de 18,1 milhões de pessoas a mais, do que no ano passado, buscando sabedoria nas Escrituras.

“O aumento significativo no número de adultos que procuram respostas na Bíblia este ano dá à igreja uma excelente oportunidade para atrair mais pessoas à verdade bíblica”, disse John Plake.

O diretor da SBA revelou que “essas pessoas que estão curiosas sobre a Bíblia, muitas vezes estão em nossas igrejas”.  John Plake explica que “elas têm dúvidas sobre como enfrentar os desafios da vida e estão se voltando para a Palavra de Deus para ajudá-las”.

Ele disse que acredita que essa é uma grande oportunidade para todos da igreja perceberem que as pessoas buscam sabedoria, nas Escrituras, para [enfrentarem os desafios] do século 21.”

A pesquisa categorizou as pessoas como “amigo da Bíblia” e “neutro na Bíblia”, ou seja, até mesmo que não conhece ou não tem intimidade com as Escrituras está se socorrendo dela.

Segundo o estudo, esse grupo totaliza 41,6 milhões de americanos – uma população maior que a do Canadá – que estão pesquisando nas Escrituras sobre áreas, como paternidade, relacionamentos, tristeza e perda de emprego.

Muitas vezes, novos leitores usam versões eletrônicas da Bíblia e pesquisas no Google, revelou John Plake.

“Acho que nosso trabalho como igreja é conhecer as questões que a nossa sociedade está pedindo e ter certeza de que estamos lá para fornecer respostas bíblicas cheias de graça e verdade”, disse o diretor da Sociedade Bíblica.

Números

“Nós não sabemos de maneira quantitativa exatamente o que está levando esse movimento para o meio, particularmente as pessoas saindo do desengajado para essas fases mais exploratórias do envolvimento da Bíblia. Mas estamos muito gratos por isso”, afirmou o diretor.

A SBA encomendou a Barna Research para o estudo, realizado entre 15 de janeiro e fevereiro, com 2.013 entrevistas de adultos online e por telefone. Os resultados foram divulgadas em abril.

O estudo acompanhou o envolvimento da Bíblia, o impacto da Bíblia, religiosidade e espiritualidade, percepções da Bíblia, penetração da Bíblia, alfabetização bíblica, a Bíblia e tecnologia, percepções morais e impacto social, experiência com trauma, percepções de igrejas e doações de caridade.

Enquanto o estudo é expansivo, o SBA considera entre as principais descobertas:

– 81% dos adultos americanos veem a igreja como um lugar-chave para as pessoas poderem pedir ajuda;
– 102,7 milhões de adultos interagem com a Bíblia, muitas vezes buscando conselhos práticos em suas vidas modernas;
– quase 60% dos adultos americanos acreditam que a mensagem da Bíblia transformou suas vidas.

Perfis

A pesquisa dividiu os entrevistados em seis categorias que medem o uso da Bíblia, entre as quais: Desinteressados pela Bíblia, que interagem com pouca frequência ou nenhuma; Neutros, que interagem com a Bíblia esporadicamente; Amigável, que interage com as escrituras de forma consistente e, talvez, vendo-a como uma fonte de discernimento e sabedoria espiritual; Engajados, que interagem com a Bíblia frequentemente e permitem que ela transforme seus relacionamentos com Deus e com os outros; e os Centrados, que interagem com as Escrituras com frequência, vendo-as transformar seus relacionamentos e moldar suas escolhas.

A pesquisa determinou que 5% dos americanos são centrados na Bíblia, 19% são comprometidos com a Bíblia, 19% são amigos da Bíblia, 9% são neutros na Bíblia e 48% não são bíblicos.

Numericamente, 61,1 milhões de americanos estão comprometidos com a Bíblia, englobando as categorias bíblicas Engajados e Centrados.

Expectativa de 100 milhões

A SBA diz que deseja ver 100 milhões de adultos americanos envolvidos com a Bíblia até 2026, quando o país completa 250 anos, disse Plake. Ele acredita que as igrejas podem ajudar a atingir esse objetivo, alcançando os 41,6 milhões que estão buscando respostas bíblicas.

“Eles não estão longe da igreja. Eles não odeiam a igreja. Eles não estão longe de Deus”, disse Plake sobre os 41,6 milhões que ele descreve como pessoas “móveis”.

“Na verdade, eles podem estar sentados ao nosso lado em um domingo de manhã … Eles são móveis porque já estão experimentando a Bíblia, estão curiosos para saber mais sobre o que a Bíblia diz e eles estão na igreja”, afirma o diretor, que diz que “envolver esses cristãos ‘móveis’ poderia tornar a América um lugar melhor”.

“Nossas esperanças são que através da igreja, independentemente da tradição ou fundo, a Bíblia é algo que realmente nos une”, definiu.

“Queremos convidar todos os nossos parceiros na igreja e na Bíblia a se unirem em torno desse desejo de ver 100 milhões de americanos, ou 40% dos adultos, ativamente engajados nas Escrituras até 2026. Se pudéssemos, pela graça de Deus, ver acontecer, a América seria um lugar diferente para o nosso 250º aniversário”.