“Ataques a alvos cristãos foram coincidência?”

51

Ricardo Gennari especialista em Segurança e Inteligência faz um alerta com relação a conduta das autorias

O Estado Islâmico (ISIS) reivindicou a autoria dos atentados realizados no último domingo, 21 de abril, em igrejas católicas e hotéis de luxo no Sri Lanka. No entanto, o governo do país atribuiu os ataques a outro grupo extremista, o National Thowheeth Jama´ath, NTJ, em conjunto com outra organização terrorista menos conhecida, a JMI (Jamaat-ul-Mujahideen India).

De acordo com as últimas informações, o número de mortos chegou a 359. Segundo o que foi apurado, a motivação aponta para uma retaliação dos ataques em mesquitas na Nova Zelândia, realizados em março deste ano, e que deixaram 50 mortos.

O domingo de páscoa foi a data ideal escolhida a dedo pelos extremistas para promover um massacre cristão no Sri Lanka, mesmo que os católicos sejam em menor número no país. 

Todavia, uma curiosidade macabra foi apontada pelo especialista em segurança, inteligência e estratégia Prof. Ricardo Gennari: o incêndio da Catedral de Notre-Dame, em Paris.  “Teria sido mesmo um acidente? As duas tragédias foram motivo de comemoração pelo o Estado Islâmico. Duas coincidências?”, inquiriu Gennari.

Na opinião dele, mesmo tendo ciência da probabilidade de um ataque terrorista em um feriado cristão, nenhuma providência foi tomada por parte das autoridades. “Situações como essas continuam se alastrando pelo mundo e matando centenas de inocentes. As autoridades precisam começar a agir antes, para que a sociedade consiga dormir sem ter medo de acordar com outra notícia trágica”, afirmou o especialista.

No caso das ações terroristas no Sri Lanka, os serviços de inteligência internacionais como Interpol e FBI vão ajudar ao país asiático nas investigações.

Ricardo Ferreira Gennari – Graduado em Ciências Econômicas pela Faculdade de Ciências Econômica de São Paulo, Ricardo Gennari é especialista em Inteligência Estratégica e Segurança. Pós com MBA em Inteligência Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), Política e Estratégia pela Universidade de São Paulo (USP). E ainda, Gerência de Sistemas e Serviços de Informação; Logistics and Transportation for the Executive Manager pela School of Business Administration – University of Miami. Mestrando em Gestão de Políticas Públicas pela FGV.

Tem cursos de Especialização na Brookings Executive Education – Washington D.C. – USA; na Academy of Competitive Intelligence; no Internacional Police Executive – New York; na Escola Superior de Guerra e na Escola de Governo, conveniada à Universidade de São Paulo; no Institute of Terrorism Research and Response de Israel; na Defense Academy of the United Kingdom (Inglaterra); na Academy for Advanced Security & Anti-Terror Training (Israel) e na National Intelligence Academy (Estados Unidos).