Servidores da educação de Tarauacá adiam início do ano letivo por falta de acordo

286

Servidores da rede de municipal de educação de Tarauacá decidiram, em assembleia realizada na tarde dessa quarta-feira, 20, na sede do Sinteac do município, que não darão início ao ano letivo de 2019, caso as negociações com a prefeitura não avancem. Eles exigem a revisão do Plano de Cargo, Carreira e Remuneração (PCCR).

No final do ano passado, a categoria já havia sinalizado que tomaria esta decisão, já que as reivindicações propostas na data base daquele ano não foram atendidas.

“Queremos revisão do PCCR municipal, redução da carga horária do pessoal de apoio, ampliação do abono dos professores de R$ 200,00 para R$ 400,00 e incorporação ao salário base, ampliação do abono dos servidores de apoio de R$ 100,00 para R$ 200,00 e incorporação ao salário base, entre outros pontos” destacou o presidente do sindicato durante assembleia.

Mesmo com a decisão da possível greve, a categoria da entidade disse que o sindicato vai insistir no diálogo com o Secretário municipal de educação, Orlando Bezerra, para que se possa chegar a um entendimento antes do período previsto para o início das aulas.