“Ação do diabo”, resumem pastores ao lamentarem atentado que ceifou 13 vidas

403

A cidade de Thousand Oaks, no sul da Califórnia (EUA), foi abalada esta semana com uma tragédia: 13 pessoas terminaram mortas após um homem invadir uma festa em um bar local e abrir fogo contra os jovens que dançavam música country. Pastores veem caso como “ação do diabo”.

O episódio, registrado na última quarta-feira, 07 de novembro, abalou os Estados Unidos e repercutiu em todo o mundo. Dentre 13 mortos estão contabilizados o próprio atirador, identificado posteriormente como Ian David Long, 28 anos, um policial e 11 vítimas que estavam no bar no momento do incidente, de acordo com informações do portal Evening Standard.

Em resposta à situação o pastor Greg Laurie, líder da megaigreja Harvest Christian Fellowship em Riverside, Califórnia, enviou um comunicado por e-mail aos membros da denominação, afirmando que, embora a sociedade norte-americana esteja debatendo questões como controle de armas e doenças mentais, essas tragédias são fruto do “puro mal”, que é “o fator mais significativo de todos na tragédia“.

“De acordo com a Bíblia, realmente existe um diabo, realmente existe o mal e, por causa disso, as pessoas podem ser motivadas a fazer coisas inimagináveis, como um homem andando em um bar e atirando indiscriminadamente nas pessoas”, comentou o pastor. “É por isso que os Estados Unidos precisam orar. Precisamos orar pela proteção das pessoas onde quer que estejam – sinagogas, igrejas, shoppings, restaurantes e em qualquer outro lugar onde se reúnam”, acrescentou.

Outro pastor que comentou o episódio foi Jentezen Franklin, líder da megaigreja Free Chapel e conselheiro do presidente Donald Trump. Ele usou as redes sociais para pedir que as pessoas continuem “orando pela paz e segurança em nossa nação e por essas preciosas famílias que perderam muito nesta tragédia sem sentido“.

“Nossos pensamentos e orações vão para aqueles que lutam por suas vidas e pelas famílias das vítimas da violência sem sentido que aconteceu na noite passada em Thousand Oaks”, escreveu o pastor. “Não há leis que possam impedir uma pessoa de ferir outras pessoas, mas acrescenta um senso de urgência para alcançar todas as pessoas com a mensagem de esperança e mudança de vida encontrada em Jesus Cristo”, concluiu.