Pastora dá testemunho após caso impressionar os médicos

143
Renee Murdoch afirmou que não pensou em deixar o Brasil depois do episódio violento

A pastora Renee Murdoch, da Igreja Luz às Nações, tem uma bonita história de superação. Há seis anos, a americana foi agredida por um morador de rua na orla da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ela tinha saído para uma corrida e levou duas pauladas na cabeça, sofrendo traumatismo craniano.

Apesar de ter apenas 35% de chance de recuperação, e 85% de possibilidade de ficar com alguma sequela, Renne teve uma recuperação que impressionou a todos, até pesquisadores. O Pleno.News esteve com a pastora e seu esposo, o pastor Phillip Murdoch. O casal falou sobre o poder da oração e agradeceu a todas as pessoas que oraram pelo milagre da recuperação.

Como vieram para o Brasil? Como surgiu esse chamado de ficar aqui?
Renne: Chegamos aqui em 2000. O Phillip é brasileiro e já tinha uma visão para voltar ao país. Ele queria voltar ao Rio de Janeiro para começar uma igreja. Então, na época, quando Deus me chamou foi para ser missionária, eu aceitei e decidimos vir. Deus nos chamou para plantar igreja e ao mesmo tempo estamos em uma associação chamada Search, que reúne pastores missionários ao redor do mundo.

Como se sentiu ao saber que pessoas oraram pela sua recuperação?
Renne: Nós temos uma dívida muito grande com o Corpo de Cristo, que é a Igreja. Agradecemos a todos que oraram por nós. Deus ouviu a oração de todos e só temos que agradecer. Muito obrigado!

Em algum momento pensaram que deveriam voltar para os EUA, por causa da violência que experimentaram?
Renne: Não, em nenhum momento. A razão que viemos foi o chamado que recebemos. Deus agiu tanto em nosso favor e eu fui tão bem tratada no Brasil, que entendi como Deus mostrando que era para continuarmos aqui. Não tem razão para voltar, uma vez que o chamado é para estar aqui.

Em todo aquele momento difícil, o que perceberam?
Renne: Foi um tempo difícil. Na verdade, foram dois anos de recuperação para mim. Mas em termos de medicina, foi muito rápido. Até os neurologistas me olham e dizem: “Não, isso é impossível”.

E como está a repercussão hoje?
Phillip: Recentemente os neurologistas fizeram um estudo sobre o caso e publicaram lá nos Estados Unidos. É muito “fora da curva”. Eles não querem dizer que foi milagre, então falam que é um ponto que não dá para explicar.

O que tem a dizer sobre o poder da oração?
Renne: É como a Bíblia fala, se vocês crerem, Deus responde e faz. Às vezes, a gente tem tantas complicações quanto ao que a Palavra diz. Achamos que não pode ser tão simples, mas eu creio que é. A gente crê e Deus faz. O Corpo de Cristo orou numa hora em que eu não poderia orar e Deus respondeu. Deus faz milagres. Ele não é morto, Ele é vivo.