Nossa incredulidade nos preocupa? – Por Pastor Olavo Feijó

192

Marcos 6:6 – E estava admirado da incredulidade deles. E percorreu as aldeias vizinhas, ensinando. 

A caminho de Nazaré, cidade onde morava, Jesus realizou várias curas. Ao chegar em Sua casa, foi recebido com críticas, por aqueles conterrâneos, que O conheciam de há muito. Isto incomodou o Mestre. “Ele não pôde fazer milagres em Nazaré , a não ser curar alguns doentes, pondo as mãos sobre eles. E ficou admirado com a falta de fé que havia ali” (Marcos 6:5-6).

Nossa incredulidade preocupa Jesus. Ele nos criou com a capacidade de termos experiência espiritual com Seu poder. Quando fechamos nosso coração, Ele não entra. “Se alguém ouvir a Minha voz e abrir a porta, Eu entrarei em sua casa e nós jantaremos juntos” (Apocalipse 3:20). Evidentemente, o Senhor não está falando da Sua falta de poder – o Senhor está insistindo em que tenhamos fé nas Suas promessas.

Nossa incredulidade nos preocupa? O convite de Jesus nos anima? O Senhor continua a nos convidar: “Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimido – e Eu vos aliviarei” (Mateus 11:28). Nosso desafio é o de aceitar este convite de Jesus, quando diz “vinde a Mim”. Ainda que nossa fé ainda seja pequena, o amor de Jesus é incalculável. Vale a pena abrir o nosso coração para receber este tão grande amor.

Pastor Olavo Feijó, nascido em 1930, é Bacharel em Teologia pelo Seminário do Sul, licenciado em Pedagogia pela UERJ, Mestre em Educação Cristã e Doutor em Educação, pelo Southwestern Seminary, Estados Unidos, e Pós-Doutor em Psicologia Desportiva, pela Universidade de Maryland, Estados Unidos. Professor Titular de psicologia, especialista em Percepção e Motivação. Foi pastor no Brasil e nos Estados Unidos. Consultor de relacionamentos humanos. Autor e co-autor de vários livros. Foi professor no Seminário Batista do Sul do Brasil e em universidades no Brasil, Estados Unidos, Paraguai e Chile. Casado com a psicoterapeuta Dra. Cristina Feijó.

Clique aqui para ler outras devocionais do(a) Pr. Olavo Feijó