Sindicato diz que governo cortou plantões extras dos servidores da Saúde; Sesacre nega

263

O Sindicato dos Profissionais Auxiliares e Técnicos de Enfermagem e Enfermeiros do Acre (Spate) reagiu com indignação em relação a decisão do Governo do Estado de cortar os plantões extras da saúde com o efeito financeiro na folha de outubro.

Em nota nesta segunda-feira, 29, o Spate informou que as secretarias de Gestão Administrativa e a de Saúde “sequer a prepararam os trabalhadores para o impacto no orçamento das famílias, tampouco veio a público explicar os motivos para a atitude desastrosa que afeta diretamente profissionais lotados nas UPAs, Huerb, Fundhacre, maternidade e outras unidades, em especial os profissionais enfermeiros, técnicos e auxiliares. Não queremos crer que esta será mais uma herança para o novo governo”, diz a nota, que completa: “Nos preocupa, ainda, o rumor de que o estado estaria propenso a parcelar os salários de novembro e dezembro, sendo obrigação dos gestores acalmar a categoria e afastar o risco de um colapso sem precedentes no bolso dos servidores e na economia do estado”.

O que diz o governo

Também em nota, após procurada pelo ac24horas, a Secretaria de Estado de Saúde disse que “não procede a informação de cortes dos plantões extras e informa que será pago normalmente, após o pagamento da folha em face de incongruências entre a informação das unidades e o processado”.

“Ciente da importância da categoria e do empenho dos mesmos em garantir o melhor atendimento à população, sendo um dos serviços indispensáveis aos acreanos, a Sesacre refirma seu compromisso com a saúde, sendo esta uma das prioridades do governo atual”, encerra a nota da Sesacre.