Publicada em 14/03/2018 às 11:23

Vacinação contra sarampo é intensificada em quatro bairros de Manaus

O objetivo é realizar uma varredura para a prevenção contra o sarampo nas áreas onde houve a notificação de sete casos suspeitos da doença.

Vacina contra sarampo  (Foto: Semuc/Divulgação)
Vacina contra sarampo (Foto: Semuc/Divulgação)

A prefeitura de Manaus inicia nesta quinta-feira (15) uma intensificação vacinal contra sarampo nos bairros Santa Etelvina, Monte das Oliveiras, São Geraldo e na comunidade São João, no bairro Lago Azul, quilômetro 4 da BR – 174 (Manaus –Boa Vista). O objetivo é realizar uma varredura para a prevenção contra o sarampo nas áreas onde houve a notificação de sete casos suspeitos da doença.

A expectativa inicial é que, durante a varredura, os profissionais de saúde realizem a avaliação de 7.540 cartões de vacina, verificando se há necessidade de imunização. Até o momento, seis pessoas estão com suspeita da doença no Amazonas.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) já realizou o bloqueio vacinal em cada um dos casos suspeitos, trabalho que inclui a investigação dos contatos que o paciente manteve, em família, local de moradia ou no trabalho, com a verificação do cartão de vacina e, quando necessário, a imunização das pessoas que estiveram em contato com o paciente, de acordo com a recomendação do Ministério da Saúde.

A varredura, conforme a diretora do Devae, enfermeira Marinélia Martins Ferreira, é um estratégia que será utilizada para ampliar ainda mais as ações de bloqueio vacinal que já foram executadas. “A intenção é trabalhar em um raio de ação de nove quarteirões ao redor do local de residência ou do trabalho do paciente. Os profissionais de saúde irão de casa em casa realizando a verificação da situação vacinal das pessoas e, se houver necessidade, será aplicada a vacina”, informa Marinélia.

Vacina

A prevenção mais eficaz contra sarampo é com a vacina tríplice viral, que deve ser aplicada aos 12 meses de idade e uma segunda dose com a vacina tetraviral aos 15 meses de idade. Na faixa etária de 2 a 29 anos, a orientação é para administrar duas doses da vacina tríplice viral, e em adultos de 30 a 49 anos de idade, administrar uma dose da tríplice viral, caso não apresentem comprovação vacinal.

Autor: G1/AM
Fonte: G1/AM

Comente com o Facebook