Publicada em 04/07/2018 às 14:50

Entrada de Carlos Magno e Marcos Rogério ´embola´ cenário político para senador em Rondônia

As eleições 2018 estão há 98 dias e os pré-candidatos ainda estão indefinidos para o Senado Federal e governo do estado, mas neste artigo vamos tratar dos pretensos candidatos as duas vagas de Rondônia ao senado.

Entrada de Carlos Magno e Marcos Rogério ´embola´ cenário político para senador em Rondônia

Porto Velho, RO –  As eleições 2018 estão há 98 dias e os pré-candidatos ainda estão indefinidos para o Senado Federal e governo do estado, mas neste artigo vamos tratar dos pretensos candidatos as duas vagas de Rondônia ao senado.

O senador Ivo Cassol (PP), depois que ficou impedido pelo STF de disputar as eleições 2018, acabou embaralhando o tabuleiro político rondoniense e agora prepara o lançamento da pré-candidatura do ex-deputado federal Carlos Magno (PP-RO) ao senado.

Outro que também está animado e ganhou força com a formação do “frentão” foi o deputado federal Marcos Rogério (DEM-RO), que trabalha para ter o apoio dos aliados deste aglomerado de partidos.

Quem acabou tendo suas pretensões enfraquecidas foi o ex-prefeito de Ji-Paraná Jesualdo Pires (PSB), que está vendo seu reduto ser minado por Marcos Rogério e Carlos Magno.

Enquanto isso o senador Valdir Raupp (MDB) com base estadual continua trabalhando para ser o primeiro e segundo voto útil em todos os municípios rondonienses, fazendo alianças com todos até com Ivo Cassol (PP-RO), que já afirmou que vai votar em Raupp.

Ou seja, Raupp teria em quase todos os palanques apoio para primeiro ou para segundo voto e assim vai traçando sua espinhosa caminhada por mais oito anos no Senado Federal como representante de Rondônia.

Enquanto isso o ex-governador Confúcio Moura (MDB) vai sendo “fritado” pelos medebistas que ele deu uma banana enquanto governou Rondônia por oito anos e agora recebe a conta de que fez. Mas promete sair jogando dinamite se realmente for rifado de sua pretensão de disputar uma vaga de senador.

Depois de ficar quatro anos longe de Rondônia, inclusive com residência no estado de São Paulo a ex-senadora Fátima Cleide (PT-RO), surge como um nome que vai dar trabalho aos adversários.  Sondagens feitas a colocam numa posição privilegiada nesta acirrada disputa pelas duas vagas de Rondônia no Senado Federal.

Enquanto isso outros nomes de menor poder de votos trabalham para emplacar seus nomes: Bosco da Federal, vereador Pastor Edésio Fernandes (PRB), Dr Caetano Neto (PODEMOS), Arailton Terrinha (PMB) e outros.

* Não analisamos o nome do ex-senador Expedito Júnior (PSDB-RO), pois já afirmou  que não disputa o cargo para senador.

Autor: oobservador.com.br
Fonte: oobservador.com.br

Comente com o Facebook